O último estudo, que condenou o uso da cloroquina e hidroxicloroquina, “tem um nível de inconsistências alarmante”, alerta Pedro Alonso, diretor do programa de malária da OMS, ao EL PAÍS. “Há enormes dúvidas sobre a qualidade desse trabalho e tanto seus autores como a revista que o publicou vão ter de prestar contas”, ressalta.

Fonte: El País

CÁ PRA NÓS:

Estamos de diante de um verdadeiro crime contra a humanidade! Absurdo! Proibir por completo o uso da cloroquina é abrir mão de milhares de vidas.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here