Menu fechado

Baseado em mensagens obtidas por meio criminoso, Gilmar parte para cima de Moro

No julgamento hoje (09) na segunda turma do STF o presidente Gilmar Mendes usou como base de seus argumentos para indicar parcialidade do ex-juiz Sérgio Moro mensagens obtidas por meio criminoso de aplicativo social que teriam sido trocadas entre Moro e procuradores e entre estes.

O ex-juiz e membros do MP que participaram da lava-jato já se manifestaram acerca de possíveis montagens de tais mensagens. Não houve perícia nesse sentido.

O julgamento foi interrompido pelo pedido de vistas do ministro Kássio Nunes, com o placar de 2 X 2.

Cá pra nós: com essa tese levantada pelo ministro Gilmar Mendes baseada em mensagens obtidas por meio criminoso e sem confirmação se houve ou não adulteração torna de vez o país sem nenhuma segurança jurídica. Salve-se quem puder!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.