Menu fechado

Freitas Cordeiro: “comércio sai como bode expiatório”

“Sei do agravamento, todo mundo sabe. Mas não vai ser com esse isolamento que se resolve não, se agrava também a situação. E quando se estende assim, de forma generalizada, pro Estado, fica pior. Cada município tem seu histórico, sua realidade. Sempre defendi que cada um pudesse tratar sua vida. Lá, as pessoas também querem viver e trabalhar”, defende Freitas Cordeiro.

A nova medida vale até o próximo dia 21 de março. Com a mudança, Fortaleza, que está sob decreto de isolamento social rígido desde o último dia 5 de março, anteriormente em vigência até o próximo dia 18, tem o período estendido até a nova data. 

Pelo decreto, apenas atividades consideradas essenciais, construção civil e indústria poderão funcionar nesse período. 

“O comércio sai como bode expiatório, não é fator de expansão do vírus”, afirma o presidente da FCDL. 

Fonte: DN

Cá pra nós: Que estudo científico foi realizado para uniformizar medida amarga para quem produz e quem precisa trabalhar, em todo Estado? Nos parece que a decisão vai ser a conta-gotas. Semana Santa vem ai.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.