Menu fechado

As conversas entre a mãe de Henry e a babá

A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou hoje que a babá do menino Henry Borel, morto em 8 de março, avisou à mãe da criança, a professora Monique Medeiros, cerca de um mês antes do crime, que o menino vinha sofrendo agressões do padrasto, o vereador Dr. Jairinho.

Em conversa no dia 12 de fevereiro, a criança relata à babá, identificada como Thayná, que sofreu uma “banda” (rasteira) e chutes. A babá conta que o menino disse que essa não teria sido a primeira vez que sofreu agressões do padrasto. As agressões e as mensagens aconteceram em tempo real…

16:30 THAYNÁ: Aí logo depois Jairinho chamou ele para ver que comprou algo 16:30 MONIQUE: Chama 16:30 MONIQUE: Aí meu Deus 16:30 THAYNÁ: Aí ele foi para o quarto 16:30 MONIQUE: Estou apavorada 16:30 THAYNÁ: De início gritou tia 16:30 THAYNÁ: Depois tá quieto 16:30 THAYNÁ: Aí eu respondi oi 16:30 THAYNÁ: Aí ele nada 16:30 MONIQUE: Vai lá mesmo assim…

16:30 THAYNÁ: Tá 16:31 MONIQUE: Fala assim: sua mãe me ligou falando para vc ir na brinquedoteca brincar com criança 16:31 MONIQUE: E fica lá um tempo 16:31 MONIQUE: Jairinho não falou que ia para caaa 16:31 MONIQUE: casa 16:31 THAYNÁ: Então eu chamo e nenhum dos dois falam nada 16:31 MONIQUE: Bate na porta 16:32 THAYNÁ: Não respondem 16:32 MONIQUE: Thaina 16:32 THAYNÁ: Eu só escuto voz de desenho…

16:32 THAYNÁ: Acho melhor você vir 16:32 MONIQUE: Entra no quarto mesmo assim 16:32 THAYNÁ: E daí se tiver acontecendo algo você vê 16:32 THAYNÁ: Fico com medo do Jairinho não gostar da invasão 16:32 THAYNA: Pera vou tentar abrir a porta 16:32 MONIQUE: Ele não tem que gostar de nada 16:32 THAYNÁ: Abriu a porta do quarto 16:32 MONIQUE: E aí? 16:32 MONIQUE: Aí meu pai amado…

16: 35 Thayná envia uma fotografia com Henry de costas, aparentemente em seu colo. 16:35 MONIQUE: Deu ruim? 16:35 MONIQUE: Sabia 16:35 MONIQUE: Pergunta tudo…

16:35 MONIQUE: Pergunta o que o tio falou 16:35 THAYNÁ: Então agora não quer ficar na sala sozinho 16:35 THAYNÁ: Só quer ficar na cozinha 16:36 THAYNÁ: Jairinho falou thayna deixa a mãe dele fazer as coisas 16:36 MONIQUE: Pergunta se ele quer vir pro shopping? 16:36 THAYNÁ: Não liga não 16:36 THAYNÁ: Falei não to falando com ela não…

16:36 THAYNÁ: To falando com minha mãe 16:36 THAYNÁ: Ai ele ah tá 16:36 Thayná envia uma foto ao lado de Henry. Os dois estão sentados em um sofá. 16:36 THAYNÁ: To sentada com ele na sala 16:36 THAYNÁ: Vendo desenho 16:36 MONIQUE: Fala que vai na brinquedoteca 16:36 MONIQUE: Eu mando um uber 16:37 THAYNÁ: A rose ta fazendo as coisas…

16:37 THAYNÁ: Ele quer que eu fique sentada ao lado dele só 16:37 MONIQUE: Coitado do meu filho (emoji)17:02 MONIQUE: Alguma coisa estranha mesmo 17:02 MONIQUE: Jairinho me ligou 17:02 MONIQUE: Dizendo que chegou agora em casa 17:02 THAYNÁ: Po 17:02 THAYNÁ: Já chegou um tempão 17:03 MONIQUE: Estranho demais 17:03 THAYNÁ: Tá comigo comendo bolo 17:03 MONIQUE: Ele vai no barrashopping 17:03 THAYNÁ: Muito…

17:03 MONIQUE: Fala pro Henry que o tio vai sair pra trabalhar de novo 17:03 MONIQUE: Que eu já já chego 17:03 THAYNÁ: Tá 17:16 THAYNÁ: Saiu agora 17:16 THAYNÁ: Tá eu e Henry em casa só 17:19 MONIQUE: Veja se ele fala alguma coisa 17:22 THAYNÁ: Estou tirando dele 17:22 MONIQUE: Ok 17:22 THAYNÁ: Pera aí 17:25 THAYNÁ: Então me contou que deu uma banda e chutou ele que toda vez faz isso…

17:25 THAYNÁ: Que fala que não pode contar 17:25 THAYNÁ: Que ele perturba a mãe dele 17:26 THAYNÁ: Que tem que obedecer ele 17:26 THAYNÁ: Se não vai pegar ele 17:28 THAYNÁ: Combinei com ele agora 17:29 THAYNÁ: Toda vez que Jairinho chegar e você não tiver eu vou chamar ele pra brinquedoteca e ele vai aceitar ir…


17:29 THAYNÁ: Porque estou aqui pra proteger ele 17:29 THAYNÁ: Aí eu disse se você confia na tia me da um abração aí ele me deu 17:30 Thayná envia fotografia com as mãos entrelaçadas com as de Henry. 17:30 THAYNÁ: Tá assim comigo 17:33 MONIQUE: Como assim? (Em relação ao trecho “Se não vai pegar ele”) 17:33 THAYNÁ: Ele não falou mais 17:49 Thayná envia um vídeo em que aparece Henry de cuecas e chinelos mexendo em um aparelho eletrônico…

17:49 THAYNÁ: Tá mancando 17:50 THAYNÁ: Mas tô cuidando dele 17:50 THAYNÁ: Termina tudo em paz 17:50 THAYNÁ: Quando você chegar a gente se fala 17:50 THAYNÁ: Vou dar banho nele 17:50 THAYNÁ: Beijos 17:51 MONIQUE: A porta do quarto estava aberta ou fechada qdo Henry entrou no quarto? 17:57 THAYNÁ: Quando Henry entrou estava aberta…

17:57 THAYNÁ: Depois ele fechou 17:57 THAYNÁ: E daí ficou até aquela hora com a porta fechada 17:58 THAYNÁ: Henry tá reclamando da cabeça 17:58 THAYNÁ: Pediu tia não lava não 17:58 THAYNÁ: Tá doendo 17:58 MONIQUE: Meu Deus 17:58 MONIQUE: Como assim?…

17:58 MONIQUE: Pergunta tudo Thayná 17:58 MONIQUE: Será que ele bateu a cabeça? 18:03 Thayná envia uma imagem do joelho de Henry, em que aparece um hematoma 18:03 THAYNÁ: Ele disse que foi quando caiu que a cabeça ficou doendo.

CÁ PRA NÓS: As provas são cabais. O garoto vinha sofrendo verdadeiras sessões de torturas físicas e psicológicas. A mãe sabia de tudo e nada fez para impedir.

5 Comentários

  1. Anônimo

    Provavelmente pelas leis brasileiras ele logo logo vai ser solto, infelizmente, mais Deus está vendo tudo isso. Fique em paz anjinho do Senhor. Quanta maldade em um ser que não sabe se defender

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.