Menu fechado

Justiça não acolhe processo de Ciro contra revista Veja que citava “esquema de extorsões” contra empresários

O ex-ministro e candidato à Presidência da República Ciro Gomes (PDT) sofreu derrota na Justiça em processo por danos morais contra a revista Veja e os jornalistas Nonato Viegas e Hugo Marques. Ele terá que pagar R$ 13.100 aos advogados dos jornalistas. O processo foi movido em razão da reportagem intitulada “O esquema cearense”, publicada nas eleições de 2018.

A reportagem, afirmava que a Procuradoria Geral da República  (PGR) investigava a existência de um esquema de extorsão contra empresários cearenses e dizia que o ex-tesoureiro Niomar Calazans (Pros) envolvia Ciro Gomes no caso. No texto, Niomar afirmava que o esquema era usado para financiar campanhas eleitorais e que Ciro e seu irmão, o senador Cid Gomes (PDT), haviam comprado por R$ 2 milhões o controle do partido no Ceará durante as eleições de 2014.

Ciro disse à Justiça que as acusações eram “levianas, ofensivas e inverídicas” e que a revista, sem dispor de provas, jamais poderia ter publicado a matéria.

Em sua decisão, o  juiz Rogério de Camargo Arruda, da Justiça de São Paulo, afirmou que a publicação não extrapolou o direito de informar, que são fatos de interesse público. O magistrado considerou que a reportagem foi baseada não apenas em entrevistas, mas em delações premiadas homologadas na Lava Jato.

O pedetista tentou recorrer, mas não obteve sucesso.

Fonte: Terra Brasil Notícias

CÁ PRA NÓS: A pergunta que não quer calar é: o que deu as investigações em torno das delações?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.