Menu fechado

CPI do covid: Situação X Oposição, o que seus olhos podem não enxergar

Muitos olhos e ouvidos fixam suas atenções nas falas de senadores e depoentes durante as sessões da CPI do covid, o que é inteiramente natural. Mas, existem ainda fatores comportamentais e cognitivos que para olhos e ouvidos treinados demonstram de um lado um jogo de equipe articulado e preparado, e de outro boa vontade.

A oposição busca construir uma narrativa permanente. É transparente as principais vertentes até o momento: a criminalização do uso da cloroquina, que chega ao ponto de patrulhar opiniões de seus pares com posição diversa, e o fortalecimento que o governo utilizou a “tese de rebanho” para buscar uma imunidade ampla da população, procurando elementos objetivos para se chegar ao presidente que nesta tese, com seus atos, teria incentivado intencionalmente as pessoas se contaminarem.

As Perquisições como disse visam imputar ação ou omissão consciente para um determinado fim que seria “contrário a ciência”. Apesar de ressaltarem que querem traçar uma cronologia, ao atingir uma resposta do depoente que lhe agrade (a oposição) a ordem natural dos acontecimentos é esquecida ou entrelaçada dentro da tese pretendida.

No tocante a inquirição de testemunhas a oposição de uma maneira geral se mostra preparada na condução de extrair aquilo o que ela deseja. Hoje (05) pudemos observar essa tática quando a senadora Simone Tebet iniciou sua indagação com elogios ao ex-ministro Teich e em seguida realizou a pergunta já com uma entonação de voz diferente. O ex-ministro respondeu objetivamente no sentido de ir na linha que a senadora trouxe à baila. Entretanto, quando claramente ele ia fazer uma complementação que poderia seguir naquele mesmo sentido ou abrir exceções, ela agradeceu e encerrou aquele tema. Inteligência e acima de tudo preparo para conduzir o depoimento. Percebeu indubitavelmente o perfil tímido de Teich.

Já a situação peca pela desconexão em trabalho de equipe. Que táticas coordenadas estão sendo utilizadas? Que instrumentos científicos (básicos) de postura de voz e do corpo são usados? São detalhes importantíssimos que fazem a diferença. Como obter o relaxamento (“desarmarmento”) do depoente?. Como descontruir uma afirmação que a testemunha titubeia e não lhe interessa?. Como fortalecer a que lhe apoia?. Não se age por emoção ou se acusa um golpe. Estamos diante de um jogo de xadrez onde tudo pode ser mitigado ou não, para ambos os lados, depoentes e senadores.

Ao nosso ver a situação, com momentos de exceção, vem se encolhendo diante da força, unidade e motivação da oposição.

A presença do senador líder do governo Fernando Bezerra ao assumir uma cadeira de titular na CPI em substituição a um colega traz experiência e liderança na equipe. É o que se espera pela sua longa vivência política.

Para olhos treinados a CPI ganha outras cores.

César Wagner Maia Martins

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.