Menu fechado

Cuba aposta em vacinas sem eficácia atestada

A ditadura de Cuba não importou vacinas e preferiu ficar de fora do consórcio Covax Facility, a aliança internacional ligada à ONU que busca ampliar o acesso a imunizantes contra a Covid-19. Com o aumento dos protestos contra a falta de um plano de vacinação, o regime anunciou que pretende imunizar todos os habitantes com mais de 60 anos com duas vacinas desenvolvidas localmente: a Abdala e a Soberana 2. As doses começaram a ser aplicadas na quarta-feira, 12. Contudo, não foram divulgados dados sobre a eficácia ou a segurança dos imunizantes oferecidos à população cubana. A Abdala concluiu a fase 3 dos testes clínicos no dia 1º de maio. A Soberana deve terminar esse processo neste final de semana.

Fonte: Crusoé

CÁ PRA NÓS: Sugestão para o pessoal que adora o regime cubano: que tal se vacinar lá? Ah, já se vacinou nos EUA?

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.