Menu fechado

Senadora não viu misoginia nem agressões contra Nise Yamaguchi

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS), líder do partido no Senado, em entrevista hoje, domingo, 20, disse que não viu caso de misoginia ou mesmo agressões dirigidas contra a médica Nise Yamaguchi por seus pares na sessão que ocorreu sua oitiva, na CPI do covid.

Soraya usou o argumento que o ocorrido deriva de linha de interrogatório, no caso do senador Otto Alencar, “foi de médico para médica”, já Renan Calheiros segue a linha de sempre, de interromper as respostas dos depoentes.

“Eu estou achando que há alguns exageros e há também diferenças entre a avaliação de como uma mulher foi tratada e outra mulher foi tratada pela nossa própria direita, que anda meio a esmo. Eu já vi mulheres da direita sendo massacradas em redes sociais e nunca ninguém falou nada. A primeira vez que as pessoas se insurgem desta maneira é nesse momento. Mas na conversa com o senador Otto, ele foi firme, ele a princípio estava conversando de médico para médica.”

A senadora reclamou que existe muito discurso e pouca pergunta durante as oitivas.

Redação smp.news

CÁ PRA NÓS: Desde quando um erro justifica outro?. Médico trata daquela maneira outra colega? Para a senadora aquele tratamento está dentro da normalidade?

4 Comentários

  1. Francisco Oliveira

    Está senadora é uma DESQUALIFICADA, puxando o saco de senadores que respondem a processo, saberemos dar o troco a este tipo de políticos.

  2. Joao carlos

    Triste essa colocação pois não foi de médico para médico foi de um desqualificado para uma cientista renomada
    Simples assim

  3. Aldo PinheiroSantiago

    Só quero ver se vão ter coragem e peito para chamar prefeitos e governadores ,mas acho que não pois o corporativismo está juntos de alguns deles ,por exemplo RENAN BABÁ vai bem chamar o filho dele EU DUVIDO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.