Menu fechado

Ensino remoto deixa alimentação de 2,7 milhões de crianças deficiente

Pelo menos 677 redes municipais do país ainda não garantem merenda aos alunos.

Mais de um ano após a pandemia impor ensino remoto a alunos de todo o país, 677 redes municipais ainda não tem programas que garantam que os estudantes façam em casa refeições que tinham na escola. Com isso o Brasil tem ao menos 2,7 milhões de crianças com alimentação deficiente, muitas das quais em situação de fome.

Os municípios não agiram mesmo tendo a disposição verba federal.

Os dados são do painel da Educação Básica no Contexto da Epidemia, da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Fonte: O Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.