Menu fechado

Polícia Federal indicia Renan por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

A Polícia Federal (PF) decidiu indiciar o senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Pandemia, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. As investigações da corporação indicam que o senador teria pedido e recebido R$ 1 milhão em propina da Odebrecht em 2012, conforme informações do site Pleno News.

Segundo os investigadores, o valor teria sido pago em troca de o senador atuar pela aprovação de uma resolução que restringia incentivos fiscais a produtos importados que vinham sendo concedidos pelos estados com o objetivo de beneficiar a companhia Braskem.

Os agentes da PF ainda apontaram que Calheiros, que foi identificado pelo codinome “Justiça” no sistema da Odebrecht, teria recebido o dinheiro por intermédio de um funcionário de seu operador financeiro no dia 31 de maio de 2012, no bairro da Mooca, em São Paulo (SP).

O inquérito foi aberto pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), em abril de 2017 a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) e com base na delação premiada de ex-executivos do grupo Odebrecht.

O relatório de 110 páginas, assinado pelo delegado Vinicius Venturini, foi enviado ao STF nesta quinta-feira (1º). Fachin, responsável pelo inquérito na Corte, deve agora enviar o caso para a PGR analisar o relatório concluído pela PF e decidir se denuncia o senador ou se arquiva a investigação.

4 Comentários

  1. Anônimo

    É doido ter politicos que fazem de tudo para lesar esse nosso rico Pais. Povo brasileiro vamos dar um xeque mate para que possamos ter ORDEM E PROGRESSO. O Brasil é dos brasileiros que honram a verdade é a justiça.. As eleições de 2022 está próxima e eles estão fazendo de tudo para continuar no comando.
    “Brasil acima de tudo e DEUS acima de Todos.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.