Menu fechado

Coronel Blanco: “encontro houve, pedido (de propina) não houve”

Ex-assessor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, o tenente-coronel Marcelo Blanco negou que o ex-diretor da pasta Roberto Dias tenha exigido propina para a compra de vacinas em um jantar com o policial militar Luiz Paulo Dominguetti do qual ele também participou, em fevereiro, em um restaurante em Brasília. “O encontro houve, o pedido não houve. Afirmo de forma categórica que não houve pedido”, disse Blanco a Crusoé .

Exonerado do cargo a pedido em janeiro deste ano, o coronel também negou ter qualquer relação com o presidente Jair Bolsonaro e influência na indicação de diretores de hospitais federais no Rio de Janeiro, seu estado de origem. “Nunca estive com nenhum dos filhos do presidente Bolsonaro e com o presidente Bolsonaro eu estive uma única vez, que foi na solenidade de posse do ministro (Eduardo) Pazuello, junto com tantos outros convidados”, afirmou Blanco, que atuou como diretor substituto de Logística do Ministério da Saúde e será ouvido pela CPI da Covid no Senado na próxima semana.

CÁ PRA NÓS: Tremei Renan!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.