Menu fechado

PEC voto impresso, vitória para os defensores

O deputado Paulo Martins (PSC-PR), presidente da comissão especial da Câmara encarregada de analisar a PEC 135/2019, que institui o voto impresso, anunciou, nesta sexta-feira (16/7), o adiamento da votação da matéria, de hoje para a próxima reunião ordinária do colegiado, que vai ocorrer em agosto, após o recesso parlamentar.

Segundo o Correio Braziliense, Martins atendeu ao pedido do relator, Filipe Barros (PSL-PR), que disse que precisaria fazer alterações no seu parecer. O desfecho da reunião representou uma vitória para os defensores do voto impresso, que temiam uma derrota na comissão no dia de hoje.

A decisão do presidente do colegiado foi alvo de protestos de representantes dos partidos de oposição, que queriam votar a PEC, certos de que a matéria seria derrubada.

CÁ PRA NÓS: PEC segue com perspectiva de vitóriaa apesar de campanha aberta de alguns ministro do STF. Qual o obstáculo para trazer mais transparência ao processo de votação? Somente o Brasil, Bangladesh e Butão usam a urna eletrônica sem impressão do voto.

4 Comentários

  1. Sandra Lima

    Não confiamos nessas urnas, o voto impresso auditável é necessário, principalmente agora, depois da desconfiança dos eleitores, só aceitaremos o resultado das eleições de 2022, com o voto impresso auditável!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.