Menu fechado

César Wagner analisa caso envolvendo padre Lino Allegri

O radialista César Wagner analisou no programa SEM MEIAS PALAVRAS desta segunda-feira, 19, a polêmica que envolveu o padre Lino Allegri na Paróquia da Paz, quando em homilia teceu críticas a Bolsonaro, e houve reações por simpatizantes do Presidente.

Ouça o áudio:

8 Comentários

  1. Antônio Pascasio Círico

    Sou católico, e em todas eleições sempre vejo padres se manifestarem politicamente que é errado. Assim como os pastores evangélicos que induzem os fiéis votarem num candidato.

    A primeira vez que vejo nos meus 66 amos fiéis chegarem a este ponto.
    A intolerância nos últimos 2 anos está crescendo de uma forma assustadora!

  2. Beth

    Na homilia do Padre é explicar as o salmos
    e o Evangelho não tem nada falando de política, é sim o que está escrito na palavra de Deus…

  3. SILVIA HELENA MOURA MARQUES

    Concordo. Igreja não é lugar de idolatria politiqueira. O padre tem que evangelizar. Pregar o evangelho de nosso senhor Jesus Cristo, não do senhor Lula. E muito menos tecer comentários contra o governo atual. Senão ele terá que, na mesma homilia falar sobre todas as roubalheiras do Lula. Não é Padre Alegri

  4. Maria do Carmo

    Bem, vou repetir. Fui testemunha ocular da postura do padre Lino. Ele criticou o presidente por está dentro de uma igreja assistindo a missa e recebendo a eucaristia. Naquele momento ninguém falou nada. Respeitou o local sagrado e ao terminar a missa foram falar com ele na secretaria da igreja, sem qualquer agressão. Fora da igreja cristãos de pensamentos diferentes discutindo, consequência da postura do padre. No dia seguinte o jornaleco O Povo, em defesa do padre afirmou afirmou que o mesmo havia sido hostilizado, o que não ocorreu. Missa seguinte, uma moção bem orquestrada feita em apoio ao padre Lino, com carros de polícia em frente a igreja, pessoas do MST com cartazes, outras de movimentos de esquerda com roupas vermelhas, máscaras com símbolos do PT, cartazes com frases “fora Bolsonaro”, celebração filmada, o que nunca ocorreu, ocasião em que um cidadão se posicionou contrário ao ato e disse que a igreja não era palanque político. Foi expulso como se fosse um bicho. Hoje os esquerdopatas estão utilizando o vídeo onde de esse Senhor se manifesta, tentando atribuir a ele toda a confusão, quando na realidade isso não aconteceu. Indignação é ver toda a baixaria na igreja, os cristãos desesperados diante da gritaria e os padres de braços cruzados (basta ver os vídeos). Pois bem, fizeram da igreja um palanque político e hoje diante do que ocorreu na missa ontem, onde as pessoas foram de amarelo em retalhação ao ocorrido no domingo anterior, a esquerda esperneia, mente e acusa o povo de ser facista, como acabei de ver uma amiga nos denominado de facista. Somos grandes amigas, mas ouviu a verdade que distorcem. Luto por justiça, e ver que estão distorcendo os fatos, é demais. Aí vem um João Alfredo que nem sabe o aconteceu, que nem cristãos é, fazer a defesa de um padre que faz parte da mesma mentalidade FACISTA. Concordo plenamente, anticristos querendo implantar o comunismo nas igrejas em um país predominantemente cristão.

  5. Islay Aguiar de Oliveitra

    Inaceitável padres envolvidos com política em plena missa, como aconteceu aqui em Fortaleza, envenando os católicos. Tem que largar a batina e se dedicar a sua política suja.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.