Menu fechado

Anvisa: não há evidências científicas para antecipar terceira dose

A discussão sobre a necessidade de uma terceira dose das vacinasCoronaVac e Pfizer começou depois do surgimento de variantes do novo coronavirus. Em um informe oficial, a agência confirma que não há evidências científicas suficientes para antecipar qualquer recomendação sobre terceira dose. No comunicado, a Anvisa também admite que não se sabe quanto tempo dura a proteção das duas doses (ou a dose única da vacina Janssen), nem se haverá necessidade de reforço com intervalos.

Segundo a agência, especialistas e instituições como a Organização Mundial da Saúde dizem que os formuladores de políticas públicas de saúde precisam olhar para o cenário mais amplo quando estão considerando a possibilidade de oferecer doses de reforço, incluindo o fato de que muitas pessoas vulneráveis e profissionais de saúde podem não ter recebido sequer a primeira dose de uma vacina contra a Covid-19. Até o momento, ressalta a agência, todas as vacinas autorizadas no país mantêm proteção contra doença grave e morte, conforme os dados publicados, finaliza matéria da Jovem Pan.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.