Menu fechado

Ações integradas com governo federal evitaram massacres em escolas

No último domingo (15/8) o Ministério da Justiça e Segurança Pública, ajudou a evitar ataques de criminosos contra duas escolas do Rio Grande do Norte. A operação foi executada pelas Polícias Civis do estado e de Goiás a partir de levantamentos que apontaram que quatro adolescentes planejavam invadir escolas com o objetivo de incendiá-las. Dois deles eram primos, sendo um morador de Itumbiara (GO).

Com essa ação, chega a dez o número de planos criminosos que foram interrompidos com o uso de informações coletadas pelo Laboratório de Operações Cibernéticas (Ciberlab) da Secretaria de Operações Integradas (Seopi) e com a colaboração da Agência de Investigações de Segurança Interna (Homeland Security Investigations – HSI).

Além dos ataques evitados, o Governo Federal também colaborou com as forças policiais estaduais para que outras ameaças semelhantes não fossem concretizadas em 2021:

📆 5/5: Polícia Civil do Rio de Janeiro é acionada após a Secretaria de Operações Integradas identificar que um adolescente de Cabo Frio divulgava em redes sociais que pretendia invadir um colégio da região.

📆 20/5: Ministério da Justiça e Segurança Pública envia um relatório à Polícia Civil do DF sobre uma jovem de 19 anos que planejava realizar um atentado com o retorno das aulas presenciais do ano letivo.

📆 27/5: Polícia Civil de Goiás cumpre mandado de busca e apreensão na residência de um adolescente. No celular do suspeito foram encontrados indícios de participação em grupos que planejam atentados à escolas, bem como fazem alusão a grupos extremistas.

📆 28/5: Polícia Civil de Minas Gerais impede ataque a unidades escolares do estado com a apreensão de um adolescente.

📆 1/6: adolescente de 16 anos é apreendido pela Polícia Civil do Paraná, em Palmas.

📆 1/6: dados coletados pela Secretaria de Operações Integradas impediram ataque a escola pública de Santa Rita (PB). Policiais civis realizaram busca e apreensão na casa de um adolescente de 14 anos.

Fonte: Ministério da Justiça e Segurança Pública

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.