Menu fechado

Mais um motorista de aplicativo é morto em assalto na Capital cearense

Samir Lima da Silva, 31 anos, é o nome do motorista de aplicativo assassinado covardemente por bandidos, que não satisfeitos em roubar o pouco que a vítima conseguia arrecadar com seu trabalho, resolveram lhe tirar seu bem mais precioso, a vida.

Samir tinha feito o derradeiro contato com a esposa na última quinta, 9, quando fazia uma corrida para a Sabiaguaba.

O corpo da vítima foi localizado em um matagal, na rua Tâmaras, no bairro Dunas, na sexta, 10.

Com as investigações em curso, ainda na sexta, a polícia conseguiu localizar o veículo da vítima na posse de um jovem, 18, uma mulher, 27 , e com eles, um adolescente, 15, e uma criança, filha da marginal, de 11 anos.

Em comunicado da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), veio a tona que o jovem e o adolescente confessaram o latrocínio e apontaram o local exato onde se desfizeram do corpo. Policiais do 1° DP e 12° DP, com a informação, localizaram o corpo do motorista.

Com os trabalhos a cargo da Polícia Judiciária (Civil), o martírio que o trabalhador passou nas mãos do grupo surgiu, com detalhes. Arrancado de seu instrumento de trabalho, com uma gravata realizada pelo adolescente, foi colocado no banco de trás, onde disse que podiam levar tudo, mas não o matassem. Nada adiantou. Levado para um matagal foi executado com tiros na nunca, de joelho.

Com a prisão, A criança ficou com um responsável. O adolescente que logo assumiu os disparos contra a vítima foi direcionado para um Centro Socioeducativo. O casal será enviado para um presídio da Capital, após audiência de custódia.

CÁ PRA NÓS: Todo o crime foi planejado, inclusive com a presença de uma criança, para os bandidos transmitirem mais segurança para a vítima. A lei e normas internas que não protegem o cidadão, oferecem o anonimato aos dois maiores que tão logo saíam, e não deve demorar aquilo que nós esperamos, pois, logo chega a progressão de regime, voltarão a conviver em comunidade, sem ser pelo menos conhecidos de todos, pelos seus atos covardes. O adolescente ou realmente disparou a arma ou assumiu o crime, máximo três anos de privação de liberdade. Realmente uma vida trabalhadora vale muito pouco.A dupla responderá por latrocínio.

2 Comentários

  1. Roberto

    E Poder público chama pra sí a responsabilidade das léis das quais ele mesmo as fez,mas, não tem a capacidade e a competência de fiscalizalas.

  2. Adriano Araujo

    Muito facil saber quem fez o disparo, basta fazer exame de constatação de presença de polvora nos implicados, essa coisa de menor estar assumindo pode cair por terra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.