Menu fechado

Polícias do STF e Senado avançam rompendo suas atribuições.

Nos últimos dias, senadores que participam da CPI da Covid-19 pediram à Polícia Legislativa do Senado, em duas ocasiões diferentes, que investigue supostos ataques contra parlamentares ocorridos nas redes sociais. As circunstâncias dos pedidos guardam paralelos com o que ocorre no inquérito das fake news, do Supremo Tribunal Federal .

Na quarta-feira (29), o senador Rogério Carvalho (PT-SE) pediu que a Polícia Legislativa faça um rastreamento em contas de redes sociais que interagiram com integrantes da CPI. Ele alegou que houve um ataque de robôs virtuais para ofender os parlamentares, “uma ação orquestrada exatamente no dia do depoimento de Hang”.

CÁ PRA NÓS: A tal “Polícia”, não previstas no art. 144 da Constituição Federal, mas possível pelo art.52 da própria Carta Magna, e normatizada em regulamento interno da Casa, é clara quanto ao seu uso para crimes ocorridos em duas dependências, assim como a mesma polícia do STF. Entretanto, esses instrumentos vêm sendo utilizados com a expansão não permitidas, como verdadeiras guardas pretorianas, o que não condiz com a democracia, portanto, olho vivo.

1 Comentário

  1. Alfredo Santa Rita

    Quando uma república é composta por nem ris q não se identifica com o Povo, não toma uma atitude em reestruturar a política, não reformar os poderes, inclusive a forma de escolha de seus membros, mas cedo ou mais tarde sofrerá uma intervenção sangrenta. Ontem, hoje e sempre, os msm valores, princípios e ideais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.