Menu fechado

Acreditem: Operadores de propina brigam por indenização milionária

A Transexpert, transportadora de valores que operou as entregas de dinheiro vivo para dezenas de políticos e agentes públicos delatados pela Odebrecht e pela Fetranspor, está cobrando uma indenização milionária dos doleiros que fizeram os pagamentos ilícitos em São Paulo e no Rio de Janeiro. 

A pedido da Transexpert, que faliu depois que os doleiros foram presos pela Lava Jato e revelaram o funcionamento do delivery da propina  em suas delações, a Justiça do Rio chegou a bloquear os bens de operadores como Vinícius Claret e Cláudio Barboza, conhecidos pelos apelidos “Juca Bala” e “Tony”. 

Em uma das ações, a transportadora cobra uma indenização de mais de 200 milhões de reais, sob o argumento de que foi usada pelos doleiros para práticas ilícitas sem o seu conhecimento. A empresa foi criada por policiais do Rio e atuou tanto no esquema do ex-governador Sergio Cabral, por meio da federação das empresas de ônibus, a Fetranspor, como no da Odebrecht.

Crusoé

CÁ PRA NÓS: Com certeza ninguém sabia de nada!

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.