Menu fechado

Guedes mostra contradição da mídia e defende Bolsonaro

O ministro da Economia, Paulo Guedes, rebateu os ataques, no último domingo (24), contra a decisão do governo federal de alterar a regra do teto constitucional de gastos para viabilizar o pagamento de R$ 400 do Auxílio Brasil até dezembro de 2022. Segundo o ministro, há uma necessidade eminente de atender a uma parcela da população que está passando fome. Por isso, a criação de um novo programa social não transforma o presidente Jair Bolsonaro em um populista. “O presidente não é populista, é popular. É diferente”, afirmou Guedes em entrevista a jornalistas. “Tem brasileiro comendo osso, passando fome. A mesma mídia falou sobre isso durante três meses. Como é que um Presidente da República vai fazer? Ele fica num difícil equilíbrio”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.