Menu fechado

Ricardo Barros: ‘O ativismo político do Judiciário precisa ser contido’

líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), acusou o Supremo Tribunal Federal (STF) de agir com o intuito de dificultar a aprovação no Congresso de projetos estratégicos para o presidente Jair Bolsonaro.

A afirmação foi feita nesta segunda-feira pelo deputado do PP ao Amarelas On Air, novo programa de entrevistas de VEJA, ao comentar as negociações da PEC dos Precatórios. A emenda, que aguarda votação no Senado, abre espaço no Orçamento para a primeira fase de financiamento do Auxílio Brasil, novo programa social do governo. 

Barros sugeriu que o aumento da conta de dívidas judiciais estimada para 2022 seria fruto do “ativismo político” do tribunal, com o objetivo de tirar Bolsonaro do governo. “O ativismo político do judiciário precisa ser contido. Não é à toa que vem crescendo esta conta para o governo pagar, que é de 30 anos, de 40 anos. Vai ver a conta dos precatórios? Vem de muitos anos. Porque é que tá desaguando tudo agora? Talvez para inviabilizar o governo de executar suas ações previstas, inclusive na área social, e poder mudar o governo. Porque Bolsonaro ataca o Supremo Tribunal Federal, então vamos tirá-lo daí”, afirmou o líder do governo. 

Leia mais em: https://veja.abril.com.br/blog/clarissa-oliveira/ricardo-barros-o-ativismo-politico-do-judiciario-precisa-ser-contido/

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.