O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por intermédio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), ofereceu denúncia, na última segunda-feira (22/11), contra Luan Victor da Silva Macedo por tráfico de drogas, associação para o tráfico, por integrar e promover organização criminosa armada e pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo, acessório e munição de uso permitido e restrito e por receptação. Ele é acusado de ameaçar e expulsar moradores de condomínio em Caucaia, onde mantinha três apartamentos que serviam de base para o tráfico de drogas e esconderijo de armas na região.   

O acusado foi preso em flagrante do dia 13 de julho de 2021, no bairro Planalto Caucaia, por policiais da Delegacia Metropolitana de Caucaia. Ele estava expulsando moradores e efetuando disparos com arma de fogo no Condomínio Pabussu. Na ocasião, foram apreendidas drogas, apetrechos para o tráfico, munições de diversos calibres e armas de fogo, inclusive um fuzil com carregador e as respectivas munições calibre .556.   

As armas foram encontradas em três apartamentos do condomínio. No apartamento onde Luan morava com a companheira, Mônica dos Santos da Silva, de propriedade dela, havia drogas (maconha e cocaína), balança de precisão, munições calibres .38 e .40. Mônica estava no local no momento do flagrante. Em outro imóvel, foram apreendidos um fuzil, pistola 9mm, duas espingardas calibre 12, um colete balístico, parte da munição apreendida e dois aparelhos celulares, sendo que um (de propriedade do pai de Mônica) era usado para Luan Victor se comunicar com a facção. No terceiro apartamento, foram apreendidos dois revólveres.  

Mônica dos Santos da Silva foi denunciada por integrar organização criminosa e promover as ações desta, posse irregular de arma de fogo de uso permitido, tráfico de drogas e associação para o tráfico.  

Os lotes das munições apreendidas pertencem à Academia Estadual de Segurança Pública do Estado do Ceará, Secretaria de Justiça e Cidadania do Ceará, Polícia Civil do Ceará e Secretaria de Administração Penitenciária do Ceará e Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, fato que será alvo de aprofundamento das investigações.  

Os imóveis aparentavam situação de abandono, supostamente motivado pelas expulsões, sob ordens da facção Comando Vermelho. Segundo as investigações, eram expulsas famílias que não cumpriam as regras estabelecidas pela organização criminosa presente no Condomínio Pabussu. No local, há um conflito armado entre a facção criminosa Comando Vermelho e dissidentes desta, intitulados de Massa Carcerária, que integram indivíduos da Tropa do Mago/Comando da Laje.   

Ascom/MPCE

2 COMMENTS

  1. Isso é muito grave, munição do estado abastecendo o crime organizando, onde isso vai parar? Essa investigação deveria ir até o fim mas certamente os responsáveis pelo inquérito serão afastados e não se saberá os responsáveis pelo desvio dessa munição. O Ministério Público do Ceará parece que se destituiu, nada faz, talvez só com o MP-CE investigando se quisessem mesmo investigar chegaria aos verdadeiros culpados. Acorda povo cearense tá na hora de mudar.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here