Menu fechado

A farra gastronômica do cunhado de Gilmar

Faz apenas 34 dias que Chiquinho Feitosa, cunhado de Gilmar Mendes, assumiu o cargo de senador no lugar de Tasso Jereissati, licenciado do mandato por quatro meses. O empresário, no entanto, não demorou para desfrutar das benesses da casa: o parlamentar do DEM torrou dinheiro público em refeições que ultrapassam o valor de mil reais.

No primeiro mês à frente do cargo, Chiquinho entregou ao Senado seis notas fiscais e pediu um ressarcimento total de 4.508,20 reais por gastos com alimentação. A primeira refeição bancada com a cota parlamentar aconteceu em 4 de novembro, data da posse. Na ocasião, ele desembolsou 1.462 reais no restaurante português Manuelzinho, na Asa Sul, área central de Brasília. No local, Chiquinho pediu 10 pratos de picadinho à moda do Rio, 10 pasteis de Belém, cinco saladas mistas e 20 latas de Coca-Cola. No mesmo restaurante, ele contraiu mais quatro despesas, com valores entre 170 e 693 reais. Em 17 de novembro, o empresário foi ao Coco Bambu, localizado num shopping de Brasília. Lá, a conta totalizou 1.372 reais.

Crusoé

6 Comentários

  1. Francisco Jaime de Oliveira

    Temos que banir a todo custo esta cambada. Tarso Jereissati traiu novamente todo o povo brasileiro.

  2. Miguel

    ESSES, APROVEITAM O FATO DE QUE O BRASILEIRO É BANANA E SÓ SABE SER MACHO NA COPA DO MUNDO E EM JOGOS DE FUTEBOL , QUANDO PERDEM O JOGO..

  3. Maria Gorete Vanoni

    Olha só o que o ministro G.Mendes publicou.
    “Alerto há alguns meses para a necessidade de uma lei de responsabilidade social. A segurança alimentar do país deve ser tratada como prioridade”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.