Menu fechado

Boicote corporativo cresce contra a Rússia

A nova empresa a tomar posição é a Ikea uma das maiores redes mundiais de decoração que anunciou há poucas horas que está interrompendo as atividades na Rússia, diante da invasão do país na Ucrânia. A medida afeta cerca de 15.000 funcionários, 17 lojas e 3 fábricas de produção.

Em comunicado a companhia sueca diz “que a guerra na Ucrânia é uma tragédia humana e também está resultando em sérias interrupções na cadeia de suprimentos e nas condições comerciais”. As atividades em Belarus também estão sendo interrompidas. A companhia assegura que os postos de trabalho e os salários estão mantidos.

Gigantes empresariais como a Apple vai proibir a venda de iPhones, Mac books, iPads e até o setor petroleiro como a Shell, a Exon, também estão saindo do país.

Um dos grandes setores que mais reagiu é o automobilístico. A Volkswagen e outras montadoras de automóveis fecharam as fábricas que mantém na Rússia. As exportações também serão interrompidas imediatamente.

CÁ PRA NÓS: A Rússia vem pagando um preço altíssimo, e se mantidas e endurecidas ainda mais as sanções a economia do país ficará seriamente abalada, atingindo em cheio sua população. Os tempos são outros. O que hoje são alguns cidadãos, amanhã poderá virar uma multidão insatisfeita.

smp.news “SOMENTE A VERDADE INTERESSA” – Compartilhe, fortaleça a mídia independente.

Canal de Ouvidoria: 85 99761.0860 zap

1 Comentário

  1. maria de fatima ribeiro

    boicote isso vem de antigas datas essa politica que antes de serem eleitos são maravilhos prometem tudo de bom quando chegam no poder nem te conhece o teu filho o catarro escorre no nariz o politico tira o lenco do bolsso limpa ainda bj o menino do eleitor bobo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.