Menu fechado

Complexo petroquímico do RJ iniciado no governo Lula gerou perdas de R$ 60 bilhões

TCU cobra empreiteiro e funcionários ligados ao PT por superfaturamento em refinaria

O Tribunal de Contas da União deu 15 dias para a construtora Queiroz Galvão e a antiga diretoria da Petrobras durante o governo do PT recolham 256 milhões de reais aos cofres da estatal. Trata-se de dinheiro desviado dos cofres públicos no esquema de corrupção que ficou conhecido como petrolão.

O débito é cobrado diretamente de um dos donos da construtora, o executivo Dario Galvão Filho, do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli e dos o ex diretores Paulo Roberto Costa, Renato Duque, além do ex-gerente Pedro Barusco.

O esquema de corrupção foi desvendado pela Operação Lava-Jato — que teve os principais processos penais anulados recentemente pelo Supremo Tribunal Federal, entre eles o que levou o ex-presidente Lula à cadeia.

Segundo o TCU, o débito decorre do superfaturamento nas obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro. A refinaria começou a ser construída no governo Lula, era para ser inaugurada em 2013, gerou perdas calculadas em  60 bilhões de reais e até hoje não foi concluída. Para Lula e o PT, o escândalo na Petrobras foi uma invenção, uma conspiração contra o ex-presidente e o partido. O Tribunal de Contas, pelo jeito, não acredita muito nessa versão.

Veja

smp.news “SOMENTE A VERDADE INTERESSA” – Compartilhe, fortaleça a mídia independente.

Canal de Ouvidoria: 85 99761.0860 zap

3 Comentários

  1. Mauro Costa

    Esses comunistas lesa pátria deveriam pegar prisão perpétua. Inclusive seu chefão o 9 dedos!
    A faxina nesse país que foi totalmente aparelhado vai demorar muito tempo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.