Menu fechado

Saneamento Básico: os melhores e piores municípios

São Paulo cidade mais rica no país, investe R$ 180 em saneamento básico, enquanto Macapá um investimento médio R$ 11 por habitante. Santos no litoral paulista tem quase 100% do esgoto tratado, em Ananindeua, no Pará, coleta apenas 4,1%.

As vinte melhores cidades têm investimento anual médio por habitante de R$107, já as vinte piores cidades esse investimento médio é de R$ 43, quer dizer, 172% menos.

Quanto ao saneamento básico os melhores municípios. Todos estão nas regiões sul e sudeste – São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

Em São Paulo, Santos tem o melhor índice de tratamento de esgoto. Os piores municípios se situam no norte e nordeste nos Estados do Acre, Roraima, Amapá, Pernambuco, Alagoas e outros.

A conclusão do estudo do Instituto Trata Brasil que avalia os indicadores de saneamento básico dos 100 maiores municípios do Brasil é patente, há uma discrepância enorme entre os municípios mais ricos que tem condição com os mais pobres que ficam defasados, uma diferença de até 95% se apontarmos para investimento em esgoto, saneamento e tratamento de água.

Em destaques do estudo: mais de 35 milhões de brasileiros não têm acesso à água tratada em todo o país. Além disso, 100 milhões não têm coleta de esgoto. Ao mesmo tempo, apenas 50% do esgoto é tratado no Brasil — o que significa que mais de 5,3 mil piscinas olímpicas de esgoto sem tratamento são despejadas na natureza todos os dias.

As 20 melhores e piores cidades

  1. Santos (SP)
  2. Uberlândia (MG)
  3. São José dos Pinhais (PR)
  4. São Paulo (SP)
  5. Franca (SP)
  6. Limeira (SP)
  7. Piracicaba (SP)
  8. Cascavel (PR)
  9. São José do Rio Preto (SP)
  10. Maringá (PR)
  11. Ponta Grossa (PR)
  12. Curitiba (PR)
  13. Vitória da Conquista (BA)
  14. Suzano (SP)
  15. Brasília (DF)
  16. Campina Grande (PB)
  17. Taubaté (SP)
  18. Londrina (PR)
  19. Goiânia (GO)
  20. Montes Claros (MG)

  1. Macapá (AP)
  2. Porto Velho (RO)
  3. Santarém (PA)
  4. Rio Branco (AC)
  5. Belém (PA)
  6. Ananindeua (PA)
  7. São Gonçalo (RJ)
  8. Várzea Grande (MT)
  9. Gravataí (RS)
  10. Maceió (AL)
  11. Duque de Caxias (RJ)
  12. Manaus (AM)
  13. Jaboatão dos Guararapes (PE)
  14. São João de Meriti (RJ)
  15. Cariacica (ES)
  16. São Luís (MA)
  17. Teresina (PI)
  18. Recife (PE)
  19. Belford Roxo (RJ)
  20. Canoas (RS)

O estudo foi divulgado nesta terça-feira, 22, para celebrar o Dia Mundial da Água. O documento considera os dados mais recentes do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), referentes ao ano de 2020.

Redação smp.news, com informações g1

smp.news “SOMENTE A VERDADE INTERESSA” – Compartilhe, fortaleça a mídia independente.

Canal de Ouvidoria: 85 99761.0860 zap

Achou importante? seja nosso parceiro, Considere fazer uma doação, com qualquer valor, para manutenção e aprimoramento do blog e do programa SEM MEIAS MEIAS na rádio cidade 860 am seg-sex 11hs às 12hs. Independência é a arma de uma imprensa fiscalizadora, seu apoio é fundamental (PIX PARA DOAÇÃO: 85 99926.59.58)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.