Menu fechado

Procuradoria da Bahia sabia de contrato suspeito

Apesar de o então governador baiano Rui Costa (PT) dar a desculpa esfarrapada à Polícia Federal de não saber que havia pago adiantados R$48 milhões a uma empresa de produtores de maconha, a HempCare, pois não tinha “pleno domínio do inglês”, o contrato passou pelas mãos e recebeu aval da Procuradoria Geral da Bahia. O despacho foi assinado pela procuradora geral Aline Nunes, e é datado em 7 de abril de 2020. Os respiradores, adquiridos a peso de ouro, nunca foram entregues.

A própria Procuradoria destacou, sem se opor, que a HempCare pretendia o pagamento adiantado pelos respiradores.

Barbara Camardelli, procuradora chefe, avalizou a antecipação. Mas foi pior que isso: o pagamento saiu antes mesmo da assinatura do contrato.

A própria procuradoria afirma que é “um órgão diretamente subordinado ao Governador”, o que sugere submissão às vontades de Rui Costa.

Cláudio Humberto, Diário do Poder

smp.news “SOMENTE A VERDADE INTERESSA” – Compartilhe, fortaleça a mídia independente

Canal de Ouvidoria: 85 99761.0860 zap

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.