Menu fechado

Morte de Genivaldo tem repercussão em todo o país

A morte de Genivaldo de Jesus Santos, 38 anos, no município de Umbaúba, em Sergipe, ocorrida na última quarta-feira, 25, quando policiais rodoviários federais o detiveram e colocaram no interior do xadrez de uma viatura onde uma bomba de gás foi jogada para em seguida ser fechada a tampa, não conseguindo totalmente em virtude da vítima ter conseguido ficar com as pernas para fora, é algo Inacreditável.

Genivaldo teria sido sido abordado por estar dirigindo uma motocicleta sem capacete.

Imagens exibiram os policiais pedindo para a vítima colocar as mãos na cabeça e abrir as pernas para revista. Wallison da Silva, sobrinho da Silva diz que avisou que o tio sofria de problemas mentais. Ainda de acordo com ele, os agentes encontraram uma cartela de um medicamento controlado no bolso do tio, que fazia tratamento para esquizofrenia há cerca de 20 anos. Também segundo a família, Genivaldo era aposentado em virtude dessa condição.

Wallison relata que o tio ficou nervoso e perguntou o que tinha feito para ser abordado. No BO os policiais dizem que ele ficava passando a mão pela cintura e pelos bolsos e não obedecia às suas ordens e que, por isso, precisaram contê-lo. Segundo os agentes, os primeiros recursos foram spray de pimenta e gás lacrimogênio.

Um vídeo mostra quando um dos agentes tenta imobilizar Genivaldo com as pernas no pescoço. No chão, ele é algemado e tem os pés amarrado.

Em seguida, Genivaldo é colocado no porta-malas do carro da PRF, que está com os vidros fechados. Os policiais jogam gás e fecham o compartimento. Genivaldo se debate, com os pés para fora do porta-malas, enquanto os policiais pressionam a porta.

No boletim de ocorrência, os policiais dizem que o homem teve um “mal súbito” no trajeto para a delegacia e foi levado para o Hospital José Nailson Moura, no município, onde morreu por volta das 13h.

O corpo foi recolhido pelo Instituto Médico Legal de Sergipe e chegou a Aracaju às 16h58. Um laudo do órgão aponta que Genivaldo morreu por asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) cobrou no sábado, 28, a prisão dos policiais rodoviários federais. Segundo a Coluna do Jornalista Guilherme Amado no Portal Metrópoles, o comunicado divulgado pela OAB nacional e pela OAB em Sergipe apontou “fortes indícios de tortura” na morte de Genivaldo.

Com informações g1

CÁ PRA NÓS: A discussão que gira na imprensa é se policiais são preparados para abordagens. Isso não é o centro da questão. É básico de todo currículo o ensino de abordagem nas mais variadas situações. O que justificaria a vontade deliberada de se colocar um rapaz em um xadrez, algemado, soltar uma bomba de gás e fechar a tampa? Difícil entrar no subjetivismo. Mas, racionalmente absolutamente nada justifica. O fato se deu com o domínio absoluto dos policiais. Eram três. Poderiam optar em usar a força moderada para colocá-lo no xadrez e encerrar a ocorrência na delegacia. A técnica e o profissionalismo apontava o caminho. Poderiam com os gritos da vítima sendo sufocada pelo gás terem aberto a tampa. Nada disso fizeram. Assumiram o risco de colocar a vida de Genivaldo em perigo. Todos nós sabemos o que é certo e o que é errado, muito antes da figura de policiais, ali estavam seres humanos dotados de escolhas. É lamentável!

smp.news “SOMENTE A VERDADE INTERESSA” – Compartilhe, fortaleça a mídia independente

Canal de Ouvidoria: 85 99761.0860 zap

Achou importante? seja nosso parceiro, Considere fazer uma doação, com qualquer valor, para manutenção e aprimoramento do blog e do programa SEM MEIAS MEIAS na rádio cidade 860 am seg-sex 11hs às 12hs. Independência é a arma de uma imprensa fiscalizadora, seu apoio é fundamental (PIX PARA DOAÇÃO: 85 99926.59.58)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.