Menu fechado

Deputado Cavalcante realiza 1ª Audiência Pública em defesa dos CAC’S (vídeo)

Esclarecer sobre a expedição de porte de armas para colecionadores, atiradores desportivos e de caça (CACs) foi o objetivo da audiência pública realizada na tarde de ontem, segunda-feira, 27, no auditório Murilo Aguiar da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (Alece). O debate, promovido pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) da Casa, foi solicitado pelo deputado Delegado Cavalcante (PL).

O parlamentar, um dos defensores do porte de armas para civis, reforçou que esse é um debate “democrático, que tem o objetivo de informar o cidadão sobre seus direitos, assim como desmistificar alguns pontos sobre a concessão do porte de armas”.

Ele pontuou uma série de pré-requisitos exigidos pela Lei Federal 10.826, o Estatuto do Desarmamento, àqueles que obtêm o direito de portar armas de fogo. Entre esses requisitos estão a idade mínima, a idoneidade, o cadastro no Sistema Nacional de Armas, os laudos psicológicos e técnicos dos candidatos, entre outros.

“Há todo um rigor para que haja a concessão desses portes, não é feito de qualquer maneira, então devemos nos munir de informações para conseguirmos ampliar as legislações que existem no sentido contemplar os atiradores esportivos, uma modalidade esportiva sadia e familiar que orgulha nosso País e que vem crescendo a cada ano”, disse.

O coronel Evaldo Carvalho, presidente do Clube de Tiro Gun House, por sua vez, defendeu que o porte de armas para os praticantes de tiro esportivo pode ser “um grande avanço na segurança pública e um auxílio no combate à violência”.

“Juntos discutimos não só a necessidade do porte de armas para o cidadão de bem, mas sobre sua Liberdade. Nosso agradecimento aos participantes: CAC’S, Instrutores, Donos de Clube, Presidentes de Federação e todos que se fizeram presentes nesse histórico momento”, declarou o parlamentar ao blog.

smp.news “SOMENTE A VERDADE INTERESSA” – Compartilhe, fortaleça a mídia independente

O vídeo abaixo circula nas redes sociais do deputados:

1 Comentário

  1. Anônimo

    Minha opinião: sou contra armas. Tenho 66 anos, andei em varios lugares deste Brasil e outros países a serviço, onde já fui assaltado.
    Creio aue armas seria para quem é da área da seguranca, e em casos muito específicos.
    Cabe aos orgons públicos combater o trafico de armas vom rigor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.